Grupo 2 - 21/6/07

Na noite anterior...

Na véspera do encontro com o Touro do Norte, Schwarzschild passou boa parte do dia se preparando para a leitura que faria à noite. Durante essa preparação ele sintetiza as suas observações que fez enquanto caminhava. Ele também verifica outras constelações que podem ter algo a ver, começando pela do Escudo, passando pelos Músicos, e indo em seguida para o Mensageiro, o Timão, a Ânfora, o Pavão, o Pilar e a Máscara, símbolo do alce, totem da tribo de Yurgen Kaneko.

Com essas observações, ele conclui que as estrelas mostram o surgimento de um ser com grande paixão pela vida, que será o símbolo de grandes alianças no futuro, embora sua identidade ou os meios de sua chegada sejam um mistério. No dia seguinte pela manhã ele divide essas conclusões com seus companheiros de viagem.

Schwarzschild anuncia que tem boas e más notícias. A má é que a constelação dos músicos não tem nada a ver com o encontro deles no dia seguinte. A soa é que a constelação indica a vinda à criação de alguém muito apegado à vida, e cujo objetivo será a defesa da vida. Helmholtz imagina que isso se refere a Tyrush, que foi o único que conseguiu voltar à vida até agora. Pata Branca, o cervo, faz um barulho qualquer dizendo que entendeu e volta aos outros cervos.

Maze pergunta quais são as informações que eles não podem revelar ao Touro do Norte. Schwarzschild diz que talvez não seja uma boa idéia falar da Imperatriz, mas que a prioridade é juntar o máximo de Solares possível. Helmholtz diz que é uma boa idéia falar dos abissais de qualquer jeito, porque isso dará a eles um inimigo em comum. Schwarzschild diz que eles vão ter que saber que precisam capturar os abissais antes, para eles poderem ser libertados.

Schwarzschild recomenda que eles não sejam muito metidos, e Kitiara fica irritada, dizendo que eles não andaram 400 milhas para ser chutados na bunda.

Eles dormem.

De volta à cara de pôquer

Lá está o Touro do Norte. Maze acende sua Majestic Radiant Presence. Pata Branca se aproxima um pouco deles para ver melhor. Helmholtz se apresenta. O Touro do Norte diz para eles dispensarem as formalidades. Schwarzschild e Kitiara se apresentam, e ele reconhece Maze.

Yurgen diz que Samea avisou-lhe que eles queriam conversar. Helmholtz menciona o processo de se estabelecer um reino em Halta. Yurgen diz que ele já recebeu notícias sobre isso de Hankel. Ele se aproxima, põe a mão no bolso e puxa um rolinho de papel, perguntando se Helmholtz reconhece a letra. Helmholtz lê a carta.

Sul de Halta, 2 de Terra Resplandescente

Caro Sr. Yurgen Kaneko,

Meu nome é Hankel, da casta Twilight. Sou um ferreiro da cidade de Reture. Nosso círculo foi formado quando eu e meus amigos sentimos uma atração para o sul, e saímos de nossas terras natais para encontrar a manse construída por nossos ancestrais.

Devido a problemas que tivemos com Abissais, fomos forçados a relocar nossa manse, e agora a transportamos para Halta, que sabemos ser um posto seguro para começarmos de novo.

Os demais membros de nosso círculo são: meu irmão Helmholtz (night), Lifschitz (eclipse), Ludicris (twilight), Devon (dawn), Maze (zenith), Kitiara (dragon-blooded do Culto dos Iluminados) e Schwarzschild (sideral).

Recentemente, temos nos concentrado em salvar a Essência de um Abissal chamado Arrependimento do Sol, mas que adotou seu nome de saudosos tempos idos, Tyrush. Acreditamos que, pela forte vontade de Tyrush em retornar para o caminho dos vivos, sua alma mereça ser salva pelos seus companheiros. Daí surgiram nossos problemas com os Abissais.

Para salvá-lo, fomos até a shadowland de onde ele veio, e roubamos a prisão em que a deathlord Lover Clad In The Raiment Of Tears retinha parte da essência de Tyrush. Levamos conosco outras quatro essências, na esperança de salvar mais esses valorosos Solares da corrupção. No caminho, passamos por Paragon, onde tivemos alguns problemas com o Perfeito, e conseguimos, ao nos defendermos de sua tirania, matá-lo e salvar o solar Coruja de Jade da prisão imposta pelo Perfeito.

Nosso grupo se separou, e, enquanto Schwarzschild, Kitiara, Maze e Helmholtz foram até Yu Shan completar o processo de desabissalização de Tyrush, eu e os outros relocamos a manse para Halta, buscando estabelecer nossas defesas e começar a preparar uma nação livre da opressão do Reino e em que os Solares possam começar a reforjar este mundo em ruínas.

Logo que chegamos, fomos atacados por um batalhão da Wyld Hunt, e conseguimos neutralizar os atacantes. Eles contavam com um Warstrider, que capturamos, e tinham acesso a feitiçarias que os dragon-blooded não saberiam conjurar sozinhos.

Coloco-me à sua disposição para quaisquer esclarecimentos ou auxílios, e convido-o a visitar a nossa manse a qualquer dia. Espero que a colaboração mútua entre o seu poderoso círculo e o nosso possa trazer benefícios duradouros para toda a Criação.

Saudações crepusculares,

Hankel of the Twilight


Yurgen diz ter recebido a carta dois dias depois de Samea contar-lhe que eles queriam vê-lo. Schwarzschild e Kitiara dizem que o processo de desabissalização de Tyrush foi um sucesso. Maze acrescenta que para o processo ser bem-sucedido é necessária a presença do abissal a ser salvo, e pede a colaboraçào e a opinião de Yurgen.

O Touro do Norte pergunta como eles roubaram a prisão da Lover. Kitiara explica que é uma gaiola. Helmholtz conta o relato de Tyrush sobre a abissalização, e também onde eles foram para obter a essência de Tyrush. Schwarzschild mostra a ele o lugar onde eles foram e conta sobre a aventura deles no Labirinto. Yurgen diz que foi muita sorte. Helmholtz diz que pode ter sido o destino. Yurgen diz que Samea está muito agitada com o que ouviu, e que é sempre bom descer o cacete na vadia da Lover. Helmholtz diz que existem 300 Solares, e alguns deles viraram abissais. Eles precisam de todos eles.

Maze conta que eles viram o Sol Inconquistável em Yu-Shan, mas ele não deu a mínima para eles. Ele diz que eles recuperarem os Solares pode ser a maneira de eles terem a simpatia do Sol de novo. Yurgen esboça um sorriso. Helmholtz conta sobre as aventuras deles na Ilha Abençoada. Yurgen reconhece que eles entraram nos portais do Plenário. Helmholtz continua dizendo que os deuses presentes tentavam mantê-los longe do Sol, e ele próprio teve uma reação desfavorável a eles. Maze diz que ele teve razão em agir assim por causa dos crimes deles. Yurgen diz que depois da traição os deuses de Yu-Shan ficaram ousados demais, e que o dia deles vai chegar.

Helmholtz conta o processo por que Lytek fez ele e Maze passar, e diz que isso foi muito importante para que ele não cometesse de novo os crimes. Yurgen pergunta por que o Lunar que está com eles não aparece. Pata Branca se aproxima deles e volta a ser menino. Yurgen diz que sabia que havia um com eles. Pata Branca se apresenta e vai fazer uma referência, mas Yurgen diz para ele guardar isso para Luna. Pata Branca diz que foi muito bom ver Luna, e Yurgen diz que sabe como é a sensação.

Eles perguntam se ele já viu o Sol, e o Touro do Norte conta da visão que teve quando exaltou. Ele diz que vai fazer do objetivo da vida dele derrubar o império dos dragon-blooded, sem ofensa a Kitiara. Kitiara conta do artefato que eles possuem e o seu objetivo, ao erguer um grande Warstrider. Eles explicam que é uma garrafinha cujo conteúdo quem beber poderá controlar o warstrider.

Schwarzschild oferece a garrafinha para Yurgen provar. Helmholtz diz que ela está com Hankel. Kitiara diz que eles podem testar entre eles para ver quem é o Solar que vai poder controlar o warstrider.

Helmholtz pergunta onde mais há Solares na região. Ele diz que os Solares da região estão todos ali com ele. Schwarzschild diz que os doze Solares na região já são um bom começo. Maze pergunta se já seria possível um ataque ao lar da Lover, e Helmholtz diz que é difícil, porque eles precisam estar vivos. Yurgen diz que vai ser meio difícil, porque os deathknights da Lover já estão mortos. Schwarzschild diz que eles vão precisar passar essa informação para Lytek, e Kitiara diz que não há problema, porque as gaiolas estão todas na manse. Schwarzschild pergunta quantos Abissais eles mataram. Yurgen diz que uns oito. Helmholtz diz que eles têm que achar as outras quatro gaiolas. Maze pergunta se um ataque direto seria bem-sucedido. Yurgen diz que sim.

Schwarzschild fala que um ataque à Lover seria perigoso por causa do labirinto. Yurgen diz que não é necessário ir ao labirinto porque a citadela da Lover fica bem ali ao Norte. Schwarzschild também adiciona que seria um bom momento atacar agora porque o contingente da Lover está reduzido.

Yurgen diz que o grande problema deles com a Lover é a própria Lover, que já era poderosa quando morreu. Schwarzschild pede que ele conte a história dela que ele sabe, mas Yurgen diz só saber rumores. Ele pergunta o que eles planejam fazer, dizendo que é bobagem perder tempo procurando esse um solar. Schwarzschild diz que eles foram instruídos por Lytek para procurar os Solares porque eles encontraram o corpo da Imperatriz em animação suspensa na Cidade Imperial, protegida por várias adagas do Dragão de Ébano.

Yurgen olha para trás e vê Samea com os olhos arregalados e uma cara de "WOOT?". Schwarzschild diz que ela quer se casar com o Dragão de Ébano, e isso pode romper a barreira entre a Criação e o que há fora. A única força capaz de deter isso seria os 300 Solares reunidos. Maze diz que o corpo dela está em segurança nas mãos de Lytek, e as adagas foram o que permitiu que Tyrush pudesse ser libertado.

Samea avança e fica repetindo incrédula o que eles disseram. Schwarzschild diz que eles tiveram muita sorte em sair de lá. Kitiara explica como detectou artefatos na sala que permitiram que eles achassem a Imperatriz. Ela também diz que eles estiveram na sala do sistema de defesa do Reino, e que perto dele o corpo da Imperatriz se moveu. Ela também diz que a máscara que ela estava usando era um dispositivo que separava sua alma de seu corpo e que não podia ser removida. Maze diz que como a situação deles era crítica eles levaram a Imperatriz correndo dali para fora do palácio sem ter tempo de olhar mais nada.

Samea vira para Yurgen e diz que isso faz sentido, e diz para os outros que teve visões de usar aquele console. Helmholtz diz que Lytek mostrou a ele e Maze todas as memórias deles da Primeira Era. Maze diz que isso não foi uma visão agradável. Helmholtz diz que só não pirou por causa da lembrança do Sol, e que foi uma grande lição. Schwarzschild diz que pode arranjar que eles vejam suas próprias memórias com Lytek.

Helmholtz parabeniza Yurgen pelo bom trabalho ao derrubar o exército. Ele agradece e pede que eles o sigam, perguntando se eles não se importam em viajar mais um pouco. Kitiara diz que nem sabe onde a manse deles está agora, e Yurgen diz que está em Halta. Maze diz ter estado lá há pouco tempo, e Yurgen diz saber onde, pela carta de Hankel.

Novos miguxos

Eles empreendem uma pequena viagem, durante a qual Helmholtz conta todos os detalhes da luta contra Carrionis e suas aventuras, esperando ouvir histórias sobre as batalhas de Yurgen.

Eles vão para o norte, acompanhando Yurgen por uns dez dias. Pata Branca entende que eles estão indo em direção à sua terra natal. No quinto ou sexto dia, Helmoltz percebe uma sombra à frente, e faz sinal para o grupo. Ele avisa que há alguém na frente. Kitiara está cagando de frio. Yurgen percebe e joga um casacão para ela.

Ao longe, eles vêem um tigre branco chegando. Ao chegar perto, ele pára, olha para Pata Branca e vira a mentora dele, Rouxinol Bico-de-aço. Ele corre na direção dela, que dá um tapinha na cabeça dele e o dá as boas-vindas de volta. Ela pergunta quem são os novos amigos dele. Ele diz que achou um grupo estranho, e apresenta o grupo a ela, que os cumprimenta, e também Yurgen.

Maze não percebe se Rouxinol viu seu anel de moonsilver. Ela e Pata Branca continuam a conversar, enquanto ele conta que viu Luna todo feliz. Enquanto isso, os outros ficam conversando com o Touro do Norte.

Ela diz que veio para alertá-los de que eles estão indo para Icehome, a capital da Liga Raslanti, que tem uma opilião diferente sobre os Solares. Ela sugere que eles não interfiram muito. Schwarzschild pergunta por que eles não devem interferir, e qual a reação que eles devem esperar. Ela diz que a reação será amistosa, mas ela tem seus motivos para recomendar cuidado. Pata Branca diz que o lugar é muito bonito, e Schwarzschild fica insistindo para ele explicar como a cidade é. Pata Branca conta a ele.

Schwarzschild pergunta a Yurgen por que eles estão indo a Icehome. Ele diz que é para eles poderem conversar mais tranqüilamente.

Rouxinol convida Pata Branca a ir com ela. Os dois viram tigres e caem fora. Muito rápido. Em dois segundos, eles desaparecem da vista dos outros.

Maze pergunta se eles moram em Icehome, mas Yurgen diz que não.

Os lunares troca um lero

Pata Branca começa a falar enquanto tigre, para mostrar a Rouxinol que ele aprendeu alguma coisa. Ela sorri. Ao chegarem em Icehome, eles voltam para a forma original e entram na cidade, indo até a casa dela. Rouxinol dá um copo de leite e umas bolachas a Pata Branca, e pede que ele conte tudo. Pata Branca conta tudo.

Quando ele conta sobre o corpo da Imperatriz, Rouxinol fica olhando para ele embasbacada, e alguém bate na porta. Ela abre a porta e faz uma reverência. Ele entra, e Pata Branca o cumprimenta. O cara senta no chão em posição de lótus. Rouxinol volta à posição onde estava e pede que Pata Branca continua contando a história, olhando a expressão dos dois. Rouxinol arregala os olhos, mas o tiozinho não tem nenhuma reação. Pata Branca também menciona um tal de LaTeX, que disse que achava que ela ia casar com o tal do cara de ébano.

Pata Branca fala de Tyrush, e percebe claramente uma onda de pressão vindo de onde as mãos do tiozinho se encontram. Quando ele fala do encontro deles com o Touro do Norte, os olhares do tiozinho com Rouxinol se cruzam e desenham palavras no ar: "não te disse?" "é, disse".

Nos dias seguintes, Pata Branca faz um relatório mais completo. Sempre o tiozinho está por perto.

Lindblum, digo, Icehome

Eles continuam viajando até chegar a Icehome. Eles vêem as muralhas da cidade, e vários navios voadores no céu. A cidade é quase toda feita de construções de madeira, com uns poucos prédios de pedra. As muralhas são feitas de pedra branca e uma camada de gelo. O portão é de uma madeira tratada preta. Tem muita gente na cidade. As pessoas reparam no Touro do Norte, e o cumprimentam respeitosamente.

Eles chegam a uma casa, que é o escritório do Touro do Norte. Ele os recepciona e fala para eles ficarem à vontade. Kitiara repara em uma daiklave vermelha apoiada sobre a lareira, em duas patas de dragão. Yurgen volta, vê que Kitiara está olhando para a espada e pergunta se ela gostou. Ela diz que sim, e Yurgen responde que foi ela que ele usou contra a casa Tepet. Schwarzschild pergunta o nome, e Yurgen diz que ela se chama Red Fire.

Yurgen conta sobre o dragon-blooded que ele matou para pegar a daiklave. Ele também conta sobre seu confronto com a casa Tepet. Kitiara conta que pertence à casa Iselsi, que está abandonada. Ela diz que resolveu tirá-los da Ilha e trazê-los mais para perto. Yurgen pergunta se eles têm algum lugar para levá-los, e Kitiara conta a ele sobre seu irmão e sobre eles poderem fazer alguma coisa certa dessa vez.

Maze pergunta se ele topa ajudá-los nas missões que eles terão pela frente. Ele diz que ainda acha meio prematuro, mas que vai ajudá-los. Por enquanto é melhor eles se fortalecerem. Ele conta que o resto do grupo está fundando um reino, e pede que, assim como ele está unificando o norte, eles unifiquem o leste.

Alguém bate na porta. É o Pata Branca. Ele entra e conta da sua conversa com sua mentora. Helmholtz pergunta qual é a opinião dos Lunares sobre a desabissalização e sobre a Imperatriz. Ele diz que eles estão preocupados com a Imperatriz, mas enrola um pouco pra contar o resto.

Eles ficam discutindo sobre o papel dos Lunares nesse rolo todo. Schwarzschild acha que eles não vão ajudá-los diretamente, mas Helmholtz acha que eles vão facilitar a vida dos Solares. Pata Branca menciona o Lunar ancião que os estava seguindo, mas não sabe o nome dele. Schwarzschild perguta qual era a posição dele, e Pata Branca responde que ele já devia saber de tudo. Maze diz que ele já devia ter ouvido as conversas deles no caminho. Schwarzschild pede que Pata Branca pergunte o nome do ancião, mas não tem certeza de que quer vê-lo, por causa das lendas de que ele mata DBs e Siderais à vista. Maze diz que ele já o teria matado se assim o quisesse.

Kitiara fica irritada com alguém que brinca com eles só por diversão, e Pata Branca acha que é legal. Kitiara manda o moleque calar a boca, e Pata Branca dá piti. Schwarzschild tenta acalmar os ânimos, e Kitiara grita "sai de mim, seu Sideral de merda!". Helmholtz diz que o que o Touro do Norte dizze é verdade: eles precisam crescer. ata Branca fica muito emburrado. Kitiara fala pra ir dormir que a gente esquece.

Eles voltam para Yurgen, que pergunta sobre o que eles estavam falando. Schwarzschild pergunta quanto falta para unificar o norte, e Yurgen responde que ainda falta muito. Ele comenta que a Lover tem sido uma pedra no sapato, mas isso é uma coisa com que ele vão ter que lidar mais tarde.

Schwarzschild diz que vai falar com Lytek sobre a possibilidade de desabissalizar Abissais mortos, e que vai falar com ele assim que tiver uma resposta. Ele recomenda cuidado com os Siderais da Facção de Bronze, mas Yurgen diz que eles é que têm que ter cuidado com ele. Schwarzschild diz que os Siderais podem ficar sabendo sobre eles mesmo se eles forem mortos. Yurgen diz que eles são um povo muito estranho.

Maze conta uma piada para animar Pata Branca, que fica se mijando de rir. Logo depois, fala para ele ficar quieto que os outros estão conversando.

Eles decidem voltar para Yu Shan, prometendo mandar informações para Yurgen. Maze diz esperá-lo para uma visita à manse, e agradece a hospitalidade. Yurgen fica feliz com a visita.

Eles vão para o portal, que fica em Icehome. Ele fica em umas torres muito altas no centro da cidade. Os guardas dão passagem a eles, que passam pelo portal e chegam a Yu Shan.

De volta à casa de Schwarzschild

Eles chegam à manse de Schwarzschild, e Maze pede para se sintonizar com a manse. Ele oferece também que Pata Branca se sintonize.

Maze se ajoelha na câmara central e começa a meditar por três horas. Nesse tempo, ele tem um flashback muito louco, em que carrega um cetro comprido e circular que representa o Sol. Ele está em uma reunião com muitos Solares, num lugar imenso na Montanha Imperial. De repente, os Solares começam a passar muito mal. Eles ouvem um barulho do lado de fora. Ao olhar, eles vêem dezenas de Warstriders e muitos DBs armados até os dentes. A primeira coisa que ele faz é um movimento giratório com o bastão, pulverizando um quarteirão inteiro e uma meia dúzia de Warstriders. Outro Warstrider pula para cima dele, e ele acorda.

Pata Branca medita, e também tem uma visão. Ele tem visões esparsas, em que está flutuando sobre a cidade de Meru na Montanha Imperial, à noite, com muitas pessoas andando. Em outra ele está correndo na forma de um tigre. Em outra, ele está descendo o cacete no Fair Folk, matando dez de cada vez. Depois, está cercado pela Wyld Hunt, com dez DBs em volta. Quando eles vão dar o golpe final, ele acorda.

Pata Branca e Maze contam suas visões para os outros. Maze fica muito chocado com o poder e com o horror da batalha. Schwarzschild diz saber do que ele está falando. Maze pergunta como ele sabe disso, e Schwarzschild responde que é uma história meio complicada. Helmholtz diz que quando os 300 Solares estiverem reunidos, eles vão dar trezentos chutes na bunda de cada Sideral da Facção de Bronze. Schwarzschild conta a Maze que o momento que ele viu foi o fim da Primeira Era.

1 comentários:

  Francisco

sex jun 22, 12:18:00 AM 2007

Gigante... e isso porque a gente nem chegou onde eu queria =P