Grupo 2 - 31/5

Ascending Air 17

Oh, my god! They killed Tyrush! You bastards!


Lytek enfia a adaga no peito de Tyrush, que começa a se debater e se contorcer. O paninho não sai dos olhos dele. Lytek fica lá firme segurando a adaga nele. O sangue de Tyrush escorre pelos sulcos do altar para cair dentro de uma garrafinha. É um sangue meio escurecido, mas ainda vermelho. Aos poucos Tyrush pára de se mexer, até cair morto.

Pata Branca e os outros percebem uma luzinha subindo de Tyrush, com um brilhozinho muito fraco. A luzinha é atraída para a gaiola. Lá dentro, a faisquinha se junta ao que quer que esteja lá dentro e elas começam a aumentar de volume até ocupar o volume todo da gaiola. Lytek pega a adaga de dente de malfeano, coloca a mão por dentro da gaiola de fora e golpeia os quatro pontos da base e os quatro pontos da tampa da gaiola de Tyrush. Depois, risca com a adaga todas as arestas e a gaiola começa a rachar. Pedaços vão caindo até a gaiola se esfacelar toda, sobrando apenas um monte de pó. A nuvenzinha aumenta e começa a brilhar de novo, dessa vez de um modo menos aterrorizante. Lytek abre a gaiola e põe a mão ali dentro. A nuvem vira um ponto de luz brilhante. Lytek coloca o ponto dentro de um potinho e fecha.

Helmholtz pergunta se Lytek vai precisar renascer. Lytek explica que sim, e que Tyrush está morto. Depois, ele junta o pó da gaiola original e o joga num forno. Ao fazer isso, ocorre uma explosão de luzes e sensações que inunda a todos os presentes. Num último pulso, fica tudo calmo e as coisas voltam ao normal.

Helmholtz se aproxima do corpo de Tyrush, e pressiona os olhos para que eles se fechem.

Schwarzschild pergunta a Lytek se deu tudo certo. Ele diz esperar que sim. Pata Branca percebe qe no dedo de Maze há uma aliança de moonsilver. Maze pede a Lytek que queime o corpo de Tyrush para que a sua alma fique livre. Lytek diz que é melhor queimar. Maze se aproxima do corpo, faz uma prece ao Sol Inconquistável e impõe as mãos sobre o corpo de Tyrush, que é envolvido por chamas e eventualmente desaparece. Pata Branca ainda está meio bobo.

Lytek pega o potinho e o coloca em um altarzinho onde bate a luz do sol, e o deixa ali. Schwarzschild pergunta se isso é para purifcar a essência. Ele responde que nunca fez isso antes, e não sabe quanto tempo isso vai levar, mas uma vez que a essência esteja purificada, ele vai fazer seu trabalho normalmente. Helmholtz pergunta a ele o que aconteceria se eles simplesmente matassem Tyrush. Lytek responde que, se as coisas não forem feitas do jeito certo, então há um risco de a essência reencarnar no primeiro mortal que encontrar.

Lytek chega e diz que é melhor que eles deixem as coisas ali em paz e dêem o fora. Ele pergunta se eles têm as essências dos outros deathknights. Eles dizem ter mais quatro. Schwarzschild pergunta se há algum modo de saber biunivocamente a quem pertencem as essências nas gaiolas. Lytek diz que isso só é possível se ele ver os dois. Ele acrescenta que é melhor que as gaiolas fiquem onde estão para não chamar a atenção. Helmholtz pergunta se alguém em Yu Shan teria objetivos escusos para tentar impedir que os abissais sejam libertos. Lytek diz que sim, mas não sabe quem são.

Rebeca recebe um Infallible Messenger. É uma mensagem de Samea, a mocinha que eles encontraram no desfiladeiro. A mensagem diz:

Saindo do portal 28, sigam 400 milhas na direção
-2î + 1ĵ. Esperem pela aurora do primeiro dia de
Ar Resplandescente. Vocês saberão onde esperar.


Schwarzschild agradece Lytek. Ele dá um tapinha na cabeça de Pata Branca. Eles partem.

Saindo de Yu Shan pelo portal, eles chegam a umas ruínas. Pata Branca vê que há 5 pessoas ali. À frente tem um monte de nada. Eles seguem viagem, com Helmholtz à frente.

Depois que o grupo retorna de Yu-Shan, Pata Branca está muito afetado pela visão do ritual que Lytek executou. Ele passa os dias pensativo, sem falar muito, pensando no que aconteceu com Tyrush e refletindo sobre a natureza de sua exaltação. Ele pondera como teria sido a sua vida em encarnações anteriores. Ele recorda-se das experiências de Helmholtz e Maze quando Lytek lhes mostrou memórias de suas encarnações anteriores. Depois que Schwarzschild fala rapidamente sobre como o Destino funciona, Pata Branca lhe pergunta se seria possível acessar os feitos de sua encarnação passada.

Cheira o gato!

No caminho, Pata Branca reclama que Maze não deveria estar usando um anel de moonsilver. Maze explica que o anel pertencia a Poshide, sua encarnação anterior, que era casada com um lunar. Ele ganhou isso do jardineiro da manse. Pata Branca fica indignado e diz que não sabe como que um Lunar iria casar com eles, não que eles não sejam legais. Maze pergunta se Pata Branca julga os Lunares diferentes ou superiores. Ele explica que eles não têm como saber o que é ter que ter morado na Wyld por tanto tempo.

Pata Branca tinha ficado bem surpreso com o anel de Maze, e faz perguntas sobre ele mais à noite. O nome do Lunar, Tur Nos, não lhe é familiar.

Ele explica, com mais calma, o motivo de a Moonsilver ser tão importante para os Lunares e que foi isso que causou a sua reação. Ele explica a razão pela qual ele disse que não entendia porque um Lunar se casaria com um Solar - entre os Lunares, o que se conta é que os Solares estavam corrompidos e que não eram exatamente "boa gente", e que justamente escolheu andar com o grupo pela curiosidade de vê-los em ação e para ver de verdade como são os solares. Ao conviver com eles, e ver como eles se abalaram com as coisas que o Lytek mostrou a eles, percebeu que pelo menos estes solares não são corrompidos como nas histórias, e sua confiança neles aumentou bastante, mas a confiança ainda não é total, e que o peso do que eles fizeram é muito grande para ser deixado de lado.

Kitiara diz aos outros que eles estão sendo seguidos, mas não sabe por quem. Faz frio. Eles continuam viagem prestando muita atenção. Kitiara solta uma infinidade de charms. Schwarzschild acha que quem os está seguindo está usando algum charm para se esconder. Eles discutem qual seria a forma mais conveniente para Pata Branca assumir. Eles andam o dia inteiro, e a sensação de eles estarem sendo vigiados vai e volta. Começa a anoitecer. Eles combinam de fazer turnos de vigia com duas pessoas por vez.

Antes de dormir, Schwarzschild olha nas estrelas. A primeira coisa que salta aos olhos dele é que há muitas tramas saindo do ponto em que eles encontram Samea. Ele explica a Maze o que viu, e ressalta as dificuldades em fazer previsões ali, e não na Loom of Fate. Também explica aos outros que eles devem agir com muita cautela, porque esse será um momento decisivo. Helmholtz diz que ele está vendo o óbvio, e reclama da excessiva cautela de Schwarzschild.

Eles dividem os turnos de vigia. Helmholtz e Maze pegam o primeiro turno.

Durante a noite, Maze percebe uma presença no limiar da linha de visão deles, e cutuca Helmholtz, que não vê nada. Maze intima a presença para deixar de se esconder. Nada. Helmholtz pega um pedaço de pau aceso da fogueira e o joga na direção da presença. Não tinha nada. O pau voa longe e se apaga no vento. Helmholtz diz que isso aconteceu com ele antes. Maze prepara uma tocha e chama Helmholtz para segui-lo para dentro da escuridão. Eles não vêem nada, nem marcas no chão. Maze dá gritosna escuridão, clamando que a coisa apareça. A única resposta é o som do vento. Eles voltam ao acampamento.

No próximo turno, Schwarzschild tem a sensação de estar sendo observado. Helmholtz conta a ele o que aconteceu antes. Schwarzschild cerca um perímetro em volta do acampamento. Ele vê sua daiklave sumir da sua mão. Ela aparece na frente de Helmholtz, fincada no chão. Schwarzschild carrega seus charms e fica todo marombado pra cair na mão. Ele sente o aroma característico do jasmim. Olhando desesperadamente ao redor, ele sente um dedo encostar no topo da sua cabeça. Ele conta isso a Helmholtz, e percebe muito de relance um vulto pulando por cima dele. Helmholtz não vê nada, chama Pata Branca, e eles saem acordando todo mundo.

Todos cordam e vêem a daiklave de Schwarzschild fincada no chão, e ele olhando para os lados com cara de bobo. Kitiara percebe muito de leve alguns passos perto de Schwarzschild, e conta a ele. Os passos param. Kitiara fica putinha. Maze conclama a presença a se revelar. Helmholtz e Pata Branca ouvem um miado do outro lado. Pata Branca vai em direção ao miado enquanto se transforma em tigre branco. É um gatinho, olhando para ele e mexendo o rabinho. Helmholtz pega o gatinho. Ele não cheira a jasmim. Kitiara dá o gato para Schwarzschild cheirar. Pata Branca repara que o gato está se esforçando muito para ignorá-lo. Schwarzschild pega sua daiklave, dá uma volta perto de onde eles estavam, volta e guarda sua daiklave sem ver nada.

Ascending Air 18

O gato pula do colo de Helmholtz e se espalha nas costas do tigre. Pata Branca vai dormir, com o gato nas suas costas. Helmholtz e Maze vão dormir.

No seu turno, Kitiara também sente a presença. Ela tenta ficar alheia à presença, esperando que algo aconteça. Acaba o turno de Schwarzschild, e Pata Branca fica com Kitiara até o amanhecer. O gato está em cima da cabeça dele. Kitiara estende a mão e o gato sobe até a cabeça dela, ficando deitado todo espalhado. Pata Branca dá umas voltas e vê um cara ajoelhado na escuridão. O cara dá um pulo aparentemente impossível e some. Pata Branca tenta falar com Kitiara, mas ela só ouve uns grunhidos.

O tempo passa e o sol começa a nascer no leste. Kitiara tem a impressão de ver um sujeito andando na direção do sol. Aos poucos os outros acordam. Schwarzschild repara que tem um gato na cabeça de Kitiara. Ele e Helmholtz passam a mão na cabeça do gato mas ele os ignora. Pata Branca vira menino de novo e conta o que viu durante a noite.

Pata Branca, Kitiara e Maze percebem escritos embaixo da fogueira os dizeres "Eu vejo vocês", e cada um lê isso em sua língua nativa. Eles mostram isso aos outros. Schwarzschild se lembra da caneta de Lifschitz, e vê que isso foi escrito magicamente.

Seguindo recomendação de Kitiara eles desencanam e seguem viagem.

No caminho, Kitiara e Maze vêem que eles ainda estão sendo seguidos. A gata ainda está na cabeça de Kitiara. Com essa sensação incômoda de estarem sendo vigiados eles seguem em direção am seu encontro com o Touro do Norte.

2 comentários:

  Kitiara

sex jun 01, 01:37:00 PM 2007

Essa sessão foi BIZARRA!!!

E tem uma gata na minha cabeça =D

  timpa

sex jun 01, 10:46:00 PM 2007

Só uma errata, é o Tyrush quem tem que renascer, não o Lytek